Oficinas & workshops

As oficinas e workshops têm como foco principal a juventude de Mariana e região, possibilitando experiências formativas que mesclem arte, cultura e tecnologia.

Realizados no espaço do SESI, as oficinas acontecerão de quarta a domingo, no período da manhã e da tarde.

Clique aqui para ver a agenda de oficinas e workshops.

O Festival

Como a tecnologia possibilita novas formas de produção artística e cultural? Quais novas linguagens ou abordagens estéticas vêm surgindo a partir da tecnologia, que impactam as artes e a cultura em geral, em especial a música?

Estes são os focos centrais do M.AR.T.E. Festival, que pretende discutir as novas relações entre as artes, a cultura e a tecnologia, por meio de oficinas, workshops, shows e performances.

Para saber mais, clique aqui.

Shows e performances

Os shows e perfomances terão como foco a música de artistas locais e nacionais, além de performances que misturam música, dança, audiovisual e tecnologia.

Músicos como João Bosco (RJ), La cumbia negra (SP) e o artista digital Henrique Roscoe (MG) se revezarão de quarta a domingo à noite em dois palcos na cidade e no Teatro do SESI.

Saiba mais sobre a programação aqui.

Maurinho e os Mauditos na estreia do Festival

O primeiro dia do Festival traz a performance Desenhador Tracker da artista Thembi Rosa, e tem em seus palcos a banda mineira Tempo Plástico. Encerrando a noite, Maurinho e os Mauditos apresentam o show “O Riso do Tempo” e suas canções que falam do dia-a-dia, do amor, da falta dele, da saudade, das drogas, da tristeza. Com muito alto astral e muita energia!

Maurinho e os Mauditos: Dia 19 de julho, as 22 horas, no palco da Praça Minas Gerais.

La Cumbia Negra

La Cumbia Negra traz uma junção de amigos que se reuniram para tocar temas de cumbia unidos ao rock resultando em um ar dançante e tropical.

A banda de São Paulo mostra, em seus temas autorais, o que melhor se faz no estilo cumbia.

A apresentação será no dia 21 de julho, no Palco Praça Minas Gerais, às 19 horas.

João Bosco para fechar!

João Bosco está completando 40 anos de carreira e como no poema de Drummond, pode-se dizer que ele atinge essa marca na seguinte situação: “Quarenta anos e nenhum problema/ resolvido”. Mas muitos problemas colocados, com originalidade e mestria. São esses problemas musicais que ele reúne e aprofunda no show de fechamento do festival.

Dia 23 de Julho, no palco da Praça Minas Gerais, às 21 horas.

 

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑